terça-feira, 1 de Novembro de 2011

Jardim suspenso de suculentas e fetos, um ano depois.





Cada vez mais pesado, este cesto dificilmente deixa alguém indiferente! Um ano depois, este mini "jardim suspenso", que se encontra pendurado por debaixo de umas nespereiras e totalmente à sombra, está cada vez maior e interessante. 
Quando o construí, utilizei algum musgo e terra que apanhei em Sintra que, sem o saber, trazia também mais duas plantas, um pequeno jarro e alguns fetos. Mal começou a chover, veio a surpresa... 
O cesto ficou mais composto e mais bonito, e como está na sombra, sobrevive apenas com uma rega semanal durante a época seca do ano.
As duas últimas fotos foram tiradas em setembro de 2010.

7 comentários:

  1. Eu também quero um jardim suspenso!...Está na verdade muito bonito. Parece que a junção de Sintra com Algarve dá bons resultados. Parabéns. Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Maravilhoso! Por aqui chamamos esse feto de samambaia "chifre-de-veado".

    Apetece-me roubar a ideia também, sabe? Muito lindo mesmo, parabéns!

    ResponderEliminar
  3. Como a Dóris, era exactamente o que eu ia referir, que lá para os lados do Brasil, esta epífita dá pelo nome de "chifre-de-veado"; a minha tia, uma entusiasta das plantas, e que as cultiva de forma desenfreada e com um sucesso pouco comum, possui este tipo de suspensão, só que numa escala ainda mais grandiosa, e de onde pendem enormes chifres-de-veado que, em algumas épocas, adquirem tonalidades laranja, à mistura com avencas, e uma outra planta denominada de "renda portuguesa" (feto? pois parece um outro tipo de avenca), as quais, à semelhança deste que apresenta, não conseguem deixar ninguém indiferente.
    Eu fiquei boqueaberto a primeira vez que vi.
    Claro que as bases das culturas da minha tia são feitas à base de um feto arborescente, cuja extração está proibída no Brasil, o xaxim, pelo perigo de extinção a que está exposta.
    A senhora, consciente que está deste perigo de extinção, e até pela sua própria consciência de naturalista, já deixou de adquiri-la, sim ... porque, estranhamente, continua a ser oferecida, meio livremente, no mercado.
    Manel

    ResponderEliminar
  4. É, Manel, o xaxim cortado em forma de vasos foi uma febre, e seu uso indiscriminado quase pôs em extinção essa bela planta.

    Foi necessário que uma lei ambiental de proteção a essa e outras plantas nativas fosse aplicada com rigidez, caso contrário o nosso xaxim, ou samambaiaçu, já estaria extinto há muito tempo de seu ambiente natural, a Mata Atlântica.


    Abraços!


    Dóris

    ResponderEliminar
  5. Tenho um amigo na Flórida que tem um enorme chifre-de-veado com mais de vinte cinco anos, e que sempre que há previsão de geada, protege-o com um enorme lençol.

    A primeira vez que vi uma mata de fetos arbóreos semelhantes ao xaxim, foi na Nova Zelândia onde os troncos, depois de cortados, são usado como suporte das vedações das quintas na ilha do norte.

    Obrigado a todos pelos comentários deixados, e já agora, um bom resto de semana.

    ResponderEliminar
  6. Olá para todos!
    Zé Júlio, seu jardim suspenso é belo demais, parabéns!
    Manel, a renda portuguesa é uma samambaia mesmo, e não uma avenca.
    abraços!

    ResponderEliminar